quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Traição tem perdão ( cap 4)

Pri POV

– Oi Priscilla. - Ele estava na janela, olhando para sei lá onde.
– Oi. - ele olhou para mim e sorriu. - Então você é o nosso novo vizinho... o Reita.
– Isso. Eu estava falando com a sua amiga que preciso de ajuda lá em casa. - ele veio andando na minha direção. - eu faço questão de que você vá. - ele se aproximou de mim, pegou a minha mão, levou até o peito , olhou fundo nos meus olhos - Adoraria conhecê-la melhor. - beijou a minha mão. Olhou nos meus olhos. Cadê a minha reação? Como ele é ... lindo.
– Ah ' claro.. eu vou. - senti meu coração acelerar e meu rosto corar. Agora... eu gostaria de ter tomado banho.
Meu celular está tocando mas eu não consigo sair daqui... ele me atrai. A mão dele desceu até o bolso do meu short e eu senti um arrepio.
– Seu celular está tocando...não vai atender?!-ele disse sorrindo, peguei o celular me afastando um pouco de Reita. Olhei para a tela e vi que era o Gabriel...
–Oi -disse não desviando o olhar de Reita.-Agora não dá estou um pouco ocupada...depois te ligo, ok?! Beijos tchau.
–Rápido!-sorriu e continuou me olhando, mas dessa vez me olhou de baixo a cima,me analisando como...quisesse memorizar cada detalhe meu" que medo! mais ele é lindo".
–Não era importante... -Desde quando o GABRIEL não era importante para mim?...eu sempre quis ele e agora desliguei o telefone na cara dele... o que esta acontecendo comigo? - Vamos sentar? - sempre fui muito confiante, mas dessa vez... senti minha voz falhar.
Eu sentei ao lado dele. Parecia bem descontraído, confiante. Já eu, estava me derretendo por dentro. O olhar dele me hipnotizava, um toque dele me arrepiava.
Ficamos um bom tempo nos olhando até que decidi parar.
– Você aceita um café, refrigerante?
– Não, mas aceito você. - ai meu Deus.

– Pri... a July está bem. - Carol desceu as escadas e apareceu na sala - Atrapalhei? Bom, só para dizer que a July está descansando e tomando o remédio dela. Eu vou ... - fez uma cara de pensativa.. - ao supermercado comprar os ingredientes para o almoço. Você pode começar a ajudar o Reita lá na casa dele e quando almoço estiver pronto eu chamo vocês ok ? - ela sorriu maliciosamente...
– Tudo bem . Já que você já decidiu. - quando vi ... ela já tinha saído. - Ela vai ver só...
– Por que? Não está afim de ir ? Eu respeito. - Não havia nenhum tom de raiva, descontentamento, apenas aquele sorriso contagiante de sempre.
– Não, não. É que ela as vezes faz algo que eu nunca espero. Normalmente, sou eu que faço o almoço, porque ela trabalha e no dia de folga eu deixo ela descansar. - eu procuro ter consideração. A July a Carol sempre dividiram as coisas e nunca me negaram nada , mesmo eu ainda terminando a faculdade elas me dão muito apoio.
– Então... vamos? -ele disse. entrei em desespero.
– Você pode ficar a vontade que eu tenho que fazer umas coisas antes de ir ... tudo bem ? - falei encabulada.
– Tomar banho ? hahaha ' Não se preocupe.. mesmo assim está linda. Eu te espero. - Se eu conseguisse , cavava um buraco aqui mesmo e me escondia.
– Ah, obrigada .

Subi as escadas correndo, abri meu armário peguei minha calcinha e sutiã combinando e corri para a suíte. Liguei o chuveiro no quente, passei direto pelo espelho, tirei a roupa e entrei no chuveiro... molhei o cabelo. Saí do chuveiro, vesti a calcinha e o sutiã combinados, é claro, cor vermelha. Estou me sentindo bem hoje. Me pus em frente ao espelho e sequei o meu cabelo com o secador... hoje estavam mais lisos do que o normal. Abri a porta do banheiro e saí de cabeça baixa passando a mão entre os fios, mas esbarrei de frente com algo na porta do banheiro... Joguei os cabelos para trás e o REITA ESTAVA BEM NA MINHA FRENTE.
Ele agarrou a minha cintura, não falamos nada. Depois que eu lembrei que estava seminua. Olhou nos meus olhos, sussurrou no meu ouvido... 'não consigo te resistir' .
A respiração dele era lenta e gradual... o seu corpo estava colado no meu, até demais.
– Você pode sair do meu quarto por favor?- lhe pedi
- PRISCILLA!!! Cadê você? - que susto que eu levei !
– Sua amiga está te chamando... -ele sussurrou no meu ouvido Eu peguei o meu roupão e sai
A July estava me chamando.. não sei porque...
– O que foi July?
– Você estava dormindo ? - ela deve ter estranhado o meu roupão.
– Mais ou menos, mas me diz o que houve... - que droga... logo na hora . Se a Carol sabe disso, me mata.
– O Ricardo me ligou e disse que tem um jatinho particular e quer nos levar para o Japão ! Me ajuda. - eu paralisei ! YES! JAPÃO *-*
– Acho uma boa idéia... - fiz uma cara de indiferente. - mas não pense nisso agora, vamos esperar a Carol chegar e conversamos está bem ? Agora... tenho que ir. - tentei sair correndo, mas a July me interrompeu...
– O que está acontecendo que você está saindo tão rápido? O Gabriel está aí? - quando ela disse isso, meu coração parou.. senti uma dor profunda e resolvi partir pra outra...
– Não está não... Deixa eu ir logo. Beijos - ela ficou em silêncio e eu me retirei. entrei no quarto o encarando...
–Será que você poderia mesmo sair do meu quarto...eu preciso me arrumar. E não será bom se alguém entrar e te ver aqui...e além do mais eu nem te conheço direito então...-disse abrindo a porta para ele sair.
–Tudo bem...calma,mas só quero deixar bem claro que gostei de você e não desisto fácil...e além do mais você vai me ajudar na minha casa...foi você que disse que ia,eu só disse que fazia questão de que você vá - Ele sorriu maliciosamente e saiu.
Eu terminei de me arrumar , coloquei o meu short, meu allstar, minha blusa regata branca e uma blusa xadrez por cima. Será que ele ainda esta lá embaixo?... não queria precipitar as coisas. Desci ... e a Carol estava com o Reita na cozinha.. Ele estava sentado na bancada da cozinha picando os tomates para a Carol... hm' ... algo de bom.

-Finalmente desceu hein. O Reita estava me contando que você não foi com ele lá, mas que bateram um bom papo. - ele sorriu para mim.

– É. Conheci ele melhor, mas ele conheceu até o que não devia . - encarei ele meio raivosa.

– O que você quer dizer com isso? - Carol me encarou sem entender nada.
– Nada não ... ele é muito interessante.
– Estou vendo que vou sobrar... outra vez. - voltou para a panela.

' Beeeeeeeeeeeeem '.
A campainha? Mas... quem será?
– Eu atendo...
Fui até a porta e quando eu abri... Não...
– Ga-bri-el?!?!?!
– É. Eu vim te vê. Eu liguei, mas você não atendeu. - ainda com flores? Que fofo.
– É, eu estava meia ... ocupada. - ele tentou entrar, mas eu só podia impedi-lo.
– O que houve? Deixa o menino entrar... - A July não sabe o que está acontecendo? Por que ela apareceu logo agora? xD
– É... pode entrar... eu pensei que ... Entra logo.
Ele entrou tentando me dar um beijo, mas eu recusei. Não podia aceitar um beijo. Vai rolar briga.
Fomos até a cozinha e lá estávamos nós: Gabriel, Reita, Carol, July e eu.
– July, Gabriel esse é o Reita, nosso novo vizinho. - eles dois olharam estranhamente para a presença de alguém com um estilo bem diferente do normal.
Gabriel apertou a mão dele …
– Oi, prazer, Gabriel.
– Claro, imaginei que seu nome não seria July. Brincadeira. - sorriso contagiante, mas o Gabriel continuou serio.
–Tudo bem é...prazer,bem você já sabe quem eu sou então não preciso me apresentar não é?!-July sorriu e se dirigiu a Carol - O que você ta fazendo para o almoço Carol?
– Vai saber daqui a pouco!- Carol disse se virando para a panela no fogo.
–Bem...-July olhou para mim,Reita e Gabriel e disse – com licença - disse andando bem rápido...na verdade estava correndo,parou no meu lado e disse no meu ouvido - Boa sorte! hahaha'.
Não acredito...como o Gabriel aparece assim aqui logo agora...QUE DROGAAAAAAAA!
–Ei...qual é a dele hein?-Gabriel perguntou em meu ouvido pondo a mão em minha cintura. Olhei para Reita, ele estava serio nos encarando e na mesma hora me afastei de Gabriel- o que foi amor?!
– Nada é só que...ah esquece tá... vou ver se a July quer algo, já volto.-sai correndo antes que comece uma discussão...
Carol POV
Que droga! só sobra para mim... o que eu faço agora ? me deixaram sozinha com eles.
–O que está acontecendo aqui?- Gabriel estava confuso.
–Eu te digo o que aconteceu...você apareceu numa hora errada, foi isso que aconteceu!-Reita se levantou.
–O que você esta querendo dizer com isso?!- Gabriel se aproximo de Reita.
–Ta legal! Gente parem com isso já!- eu disse me assustando comigo mesma- vocês estão send...- O telefone da sala toca -mas que DROGA! fiquem quietos ate eu voltar! ouviram?
nem esperei eles responderem e fui direto atender...
–ALÔ!- já estava estressada por causa da briga do Gabriel e Reita.

– Oi ... Carol? É o Ricardo.. - meu Deus!O que está acontecendo hoje? Briga de amor?

–Oi Ricardo... desculpa o meu estresse... é que coisas aconteceram.

– Tudo bem . Hoje, mais cedo, eu falei com a July sobre vocês irem ao Japão. Eu gostaria muito que ela fosse lá... não para encontrar o Kai ou isso. É só para ela voltar lá e se divertir... ela gosta muito do Japão.

– Eu entendi Ricardo e agradeço a sua preocupação. Vou conversar com elas. Passa aqui amanhã de noitinha que nós conversamos... é que eu estou com uma situação meia complicada agora. Tudo bem ? - sorri disfarçadamente.

– Já que você está dizendo que é complicado, vindo de você Carol... eu acredito. Beijos. - desligou muito compreensivo. Ele mudou muito depois que eu fui franca com ele sobre ficar me cortando. É, até que ele é um cara legal. Pena que a July está quase morrendo pelo Kai, literalmente.

Os garotos! tinha esquecido. Cheguei na cozinha e lá estavam eles... se encarando.

Reita POV

– Claro, imaginei que seu nome não seria July. Brincadeira. - boa pinta. Mas sinto que a Priscilla ficou meia balançada com a chegada dele. Infelizmente, mal sabe ele que o corpo dela é sedutor.
–Tudo bem é...prazer,bem você já sabe quem eu sou então não preciso me apresentar não é?!- não conhecia a July pessoalmente, mas tinha um humor diferente, assim como o Kai havia me dito -O que você ta fazendo para o almoço Carol?
– Vai saber daqui a pouco!- Carol respondeu. Ela parecia a mais responsável de todas e com uma beleza diferente... Diria até que combina com o Aoi, mas bobagem.
–Bem...- July se manifestou - com licença - chegou no ouvido da Priscilla e saiu rápido. Elas são muito amigas pelo visto
Gabriel chegou perto demais da Priscilla e eu franzi o cenho. Ele levara flores para ela, mas não daria o gostinho de parecer que eu estava com ciúme, mesmo estando.

– Nada é só que...ah esquece tá... vou ver se a July quer algo, já volto. - saiu correndo da cozinha, subindo as escadas...
–O que está acontecendo aqui?- Esse... Gabriel estava ficando meio irritadinho...
–Eu te digo o que aconteceu...você apareceu numa hora errada, foi isso que aconteceu!- o ciúme foi mais forte que eu e acabei me levantando... como pode ser tão folgado.

–O que você esta querendo dizer com isso?!- ele está perto demais.
–Ta legal! Gente parem com isso já!- Carol apareceu para nos afastar - vocês estão send...- O telefone tocou -mas que DROGA! fiquem quietos ate eu voltar! ouviram?
– Tá bom... vou deixar uma coisa muito clara para você. A Priscilla é minha ... então vai tirando a idéia de conquistá-la.

– Pelo o que eu percebi aqui quando você chegou perto dela... ela não é tão sua assim... - olhei nos olhos dele, estava disposto a brigar.

– Paga pra vê? Veremos...

–Veremos? Você não vai ver é nada... - respondi com a minha mão tremendo, doido para acabar com isso de uma vez. Estávamos de pé, nos encarando... isso podia acabar em morte. Eu estou gostando.

Priscilla desceu as escadas e apareceu na cozinha, Carol apareceu logo em seguida, estávamos nos encarando. Gabriel saiu da minha frente agarrou a Priscilla com tudo e beijo-a.Ele não deveria ter feito aquilo. Priscilla se debatia... deu um tapa no rosto dele. Já eu... ri.

– O que foi Priscilla? - ele passava a mão onde o tapa atingiu e a Carol estava com a mão na boca atônita.

– O que houve? Eu não te dou confiança para fazer isso... - ela estava vermelha de raiva... ele conseguiu... ela estava kawai. Eu me apoiei no banco e fiquei vendo a festa começar.

– Ontem ... você me deu confiança... eu amo você. Agora, esse aí - apontou para mim - chegou ... e tudo muda? É assim? Então o que foi tudo aquilo ontem? Hein?

– Olha Gabriel... eu entendo você, mas você não me ama. Eu pensava que te amava, mas não. Era uma idéia minha. Você pode ter quem você quiser... as meninas correm atrás de você... não precisa de mim.

– Então é isso? Você vai me trocar por essa cacatua? - ele não fez isso...

– Quem você chamou de cacatua? - não aguentei e dei um soco de direita nele... que pegou em cheio no nariz dele... e ele caiu no chão.

– Reita ! Que isso ! - Priscilla gritou. - Não precisava disso.

Peguei na mão dela, cheguei perto do ouvido dela e disse 'você merece coisa melhor'.

– Carol... me ajuda a pegar o Gabriel...

– Não... deixa que eu ajudo ele. - apoiei o braço dele no meu ombro e o levei até a sala. Carol chegou com um kit primeiro socorros e muito gelo... Aquilo ia deixar um bom estrago.

– Priscilla, me desculpe. Eu não me...

– Tudo bem... - ela apoiou os dedos nos meus lábios com um gesto de silêncio.- Preciso falar com você... pode ser lá encima? - os olhos dela brilhavam ...

– Ok.

– Carol... fica com o Gabriel que eu vou lá encima com o Reita... quando ele acordar... bota ele porta a fora. ¬¬' Diz que eu mandei lembranças e que ele não é tudo que ele pensa. - fiquei impressionado com o jeito dela e a acompanhei até o seu quarto... nos sentamos na cama dela. Ela sentou ao meu lado. Parou, olhou para o chão. Eu fiquei desesperado esperando algum sinal de vida, uma bronca, mas não... ela me olhou, chegou perto dos meus lábios e me beijou.

O beijo dela foi aprofundando, agarrei a cintura dela. Ela me olhou...
– Não sei o que estou fazendo... mas é bom você não fazer eu me arrepender... - que olhar malicioso..

– Vou fazer de tudo. Eu pretendo ser muito mais que ficante. Eu quero... - ela me interrompeu...

– Eu adoraria namorar com você, mas vamos esperar mais um pouco. Quero ver o que eu sinto antes de machucar você ou não.

– Você não vai me machucar. Eu só quero te ter por perto. - nem parece que eu a conheci hoje.

A noite já ia caindo enquanto nós nos amávamos no quarto e.... meu telefone tocando?

– Alô? - Priscilla beijou o meu pescoço - Aoi !
' Oi ! Cara ! Eu consegui uma licença... vou chegar aí mais cedo.. amanhã . '
–Poxa, nem arrumei nada.
' Não tem problema... eu te ajudo quando chegar. '
– Ok ! Abraços. Até
'Até'

– Quem era? - Priscilla me olhou atenciosa
– Era o meu amigo, ele vai chegar mais cedo... e eu não arrumei nada.

O Aoi é um dos melhores amigos... e tenho muita consideração por ele. Organizadinho... é o mais responsável.

– Nós te ajudamos amanhã, bem cedo. Está bem ? Enquanto isso, vamos continuar aqui ... Pode dormir aqui se quiser. - nunca fiquei tão feliz... infelizmente... voltaria para o Japão para completar o que vim fazer aqui.

– Adoraria dormir aqui.

Enrolamo-nos no edredom e continuamos.

–Onde estávamos?


Continua no próximo capítulo XD...

2 comentários:

  1. Olá, passei apenas pra dizer que já estou te seguindo e voltarei aqui futuramente pra fazer comentários sobre os posts.
    Seu blog é maravilhoso, convido você e suas leitoras a conhecer meu blog
    http://toobege.blogspot.com.br/
    Beijinhos

    Quem seguir no insta, sigo de volta http://instagram.com/theworldofmari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, sim obrigada... ainda vai ter muitos outros posts que sei que vai gostar ainda mais XD...
      pode deixar que te sigo...
      Bjsss

      Excluir